Philodendron xanadu





Nome Científico: Philodendron xanadu
Sinonímia: Philodendron 'Winterbourn', Philodendron 'Aussie', Philodendron 'Showboat', Philodendron bipinnatifidum 'Xanadu'
Nomes Populares: Xanadu, Filodendro-xanadu
Família: Araceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Folhagens, Forrações à Meia Sombra, Gramados e Forrações, Plantas Tóxicas
Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: América do Sul, Brasil
Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros
Luminosidade: Luz Difusa, Meia Sombra, Sombra
Ciclo de Vida: Perene

Planta herbácea da família dos filodendros o Philodendron xanadu ficou conhecido popularmente no Brasil como Xanadú que, inicialmente pensava-se que era uma cultivar, resultado de hibridizações com a espécie Philodendron bipinnatifidum, realizado por um viveiro australiano. Este viveiro patenteou e comercializou a espécie por décadas sob o nome de Philodendron ‘Winterbourn’, e depois Philodendron ‘Xanadu’. Mais tarde descobriu-se que a planta era resultado da coleta de sementes no sudeste do Brasil, onde a espécie foi recentemente descoberta e descrita.
Com crescimento compacto ao invés de trepador, o Xanadú diferencia-se da maioria dos filodendros que conhecemos formando uma pequena moita de até um metro de diâmetro e altura.
Cada vez mais o Xanadú vem sendo utilizado no paisagismo, principalmente por causa de seu aspecto tropical luxuriante, tendo em suas folhas brilhantes seu principal atrativo, podendo ser utilizado como forração e bordadura em áreas semi-sombreadas do jardim, como sob a copa das árvores ou ao longo de cercas e muros.
Seu crescimento é de moderado a lento, mas se adapta a uma grande amplitude de luminosidade. Em climas mais frescos e úmidos, como nas áreas litorâneas, é possível vê-lo até mesmo sob sol pleno. Também é uma excelente opção como folhagem para interiores, plantada em vasos e grandes floreiras.
Deve ser cultivada preferencialmente sob meia sombra ou luz filtrada, em solo fértil, humoso, enriquecido e irrigado frequentemente. Aprecia o calor e a umidade tropicais, mas é capaz de tolerar o frio das regiões subtropicais ou temperadas do sul do Brasil. Suas folhas queimam com geadas, porém a planta rebrota na primavera. Ainda assim convém protegê-la no período frio, pois o rebrote pode retardar o crescimento da planta e alonga o seu caule. Fertilize mensalmente com adubos próprios para folhagens, ricos em nitrogênio. Multiplica-se por divisão da planta e por estaquia. Comercialmente multiplica-se por cultura de tecidos, que nesta espécie em particular, acarreta em uma redução do tamanho adulto da planta.
Por conter sais de oxalato de cálcio que podem provocar irritação nas mucosas, deve ser cultivado longe do alcance de crianças e animais domésticos.


Veja Também:

Tecnologia do Blogger.