Nopalea cochenillifera - Cacto Urumbeta




Nome Científico: Nopalea cochenillifera
Nomes Populares: Urumbeta, Cacto, Cacto-de-cochonilha, Cacto-sem-espinhos, Cardo-de-cochonilha, Nopal, Palma-de-engorda, Palma-doce, Palma-forrageira, Palma-miúda, Palmatória-doce
Família: Cactaceae
Categoria: Arbustos, Cactos e Suculentas
Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Semi-árido, Subtropical, Tropical
Origem: América do Norte, México
Solo: Fértil e bem drenável
Regas: Esparsas
Altura: 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros, 1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros
Adubação: NPK 04-14-08
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene
Flores: Alaranjadas, vermelhas ou róseas
Multiplicação: Estaquia dos artículos e por sementes
Curiosidades: A Urumbeta é comestível. É utilizada como alimento para o crescimento e reprodução de cochonilhas fornecedoras de um valioso corante industrial vermelho e é reconhecida também pelo seu importante valor forrageiro na alimentação de ruminantes em climas áridos e semi-áridos.
Na culinária seus artículos jovens e os frutos são comercializados e consumidos como verdura nos países da América Central.





A Nopalea cochenillifera é uma espécie de planta xerófita, isto é, bem adaptada ao clima seco, originária do México e pertencente a família das cactáceas.
Ficou conhecida no Brasil por diversos nomes populares diferentes, entre eles: Cacto, Cacto-de-cochonilha, Cacto-sem-espinhos, Cardo-de-cochonilha, Nopal, Palma-de-engorda, Palma-doce, Palma-forrageira, Palma-miúda, Palmatória-doce, sendo o mais divulgado Urumbeta.
De caule cilíndrico e artículos achatados, carnosos e ovalados, conhecidos popularmente por “palmas” e cientificamente por “cladódios”, este cacto vem sendo muito utilizado no paisagismo para compor jardins desérticos ou rochosos, onde sua beleza e singularidade ficam bem evidenciadas. Os artículos da planta é que são responsáveis pela fotossíntese, pois as folhas encontram-se reduzidas a espinhos pequenos e esparsos, ausentes em algumas variedades. Esta adaptação reduz a transpiração da planta, que consegue suportar a falta de água por mais tempo.
Suas flores são firmes, de coloração alaranjada, rósea ou vermelha e com numerosos estames cor-de-rosa, muito longos e surgem o ano todo, mas principalmente de setembro a março.
Planta rústica, adequada para o plantio isolado ou em grupos, assim como em renques, tornando-se uma cerca-viva bastante defensiva quando utilizadas espécimes com espinhos.
Pode ser cultivada também em grandes vasos, bacias e floreiras, com o substrato bem drenável e coberto por pedriscos.
No jardim devem ser cultivadas em ambiente de sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil e muito bem drenável, preferencialmente arenoso. É tolerante a seca e a baixa fertilidade do solo, mas floresce melhor e tem o crescimento mais vigoroso quando fertilizada e irrigada a intervalos periódicos, com NPK 4-14-8. Multiplica-se por estaquia dos artículos e por sementes.




Tecnologia do Blogger.