Passiflora sp - A Flor da Paixão




A Passiflora sp é uma espécie trepadeira originária da África, América Central, América do Sul e Austrália, pertencente a família botânica Passifloraceae que possui crescimento vigoroso e continuo.
Conhecida popularmente como Maracujá, Flor-da-paixão ou Maracujazeiro, esta bela planta possui sistema radicular pouco profundo, caule trepador, folhas lobadas e verdes com gavinhas (órgãos de sustentação). Existem espécies que possuem as folhas arredondadas e em outras partidas, com bordos serrilhados.
As grandes e ornamentais flores do Maracujá que surgem durante o Verão, são vistosas e de diversas cores, variando conforme a espécie e a variedade.
Os conhecidos frutos do Maracujá são arredondados com grande quantidade de sementes achatadas envoltas numa deliciosa polpa gelatinosa. O fruto possui baixa caloria, carrega antioxidantes, vitamina A, do complexo B e C, cálcio, fósforo, sódio, potássio e muita fibra solúvel.
Dentre as mais de 400 espécies do gênero Passiflora existentes no mundo, sendo mais de 150 cultivadas no Brasil, as 2 espécies mais cultivadas para a produção de frutos são a Passiflora edulis e a Passiflora alata, que são amplamente utilizados na culinária, no preparo de sucos, geléias, sobremesas, molhos para carnes e para o consumo in natura.
O Maracujá esta entre as frutas mais consumidas no Brasil, sendo grande parte deste consumo devido ao sabor azedinho doce da fruta, ideal para tornar o suco agradável e refrescante. O sabor característico do Maracujá é muito apreciado também nos doces.
A Passiflora sp prefere ser cultivada em ambientes de sol pleno, com solo fértil e rico em matéria orgânica e com regas periódicas, fato que fortalece a floração e a frutificação da planta.
Adequado para cobrir cercas, pérgolas e caramanchões, o Maracujá é muito utilizado como planta ornamental em grandes jardins, principalmente em sítios, chácaras e casas de campo. Nestes ambientes tem como principal polinizador natural a abelha mamangava.
A maioria das espécies da Passiflora não tolera frio e nem geadas. Com o decorrer do tempo o Maracujá perde a sua beleza e saúde, sendo necessário fazer seu replantio. Multiplica-se por meio de estacas e principalmente por sementes.




Nome Científico: Passiflora sp
Nomes Populares: Maracujá, Flor-da-paixão, Maracujazeiro
Família: Passifloraceae
Ciclo de Vida: Perene
Origem: África, América Central, América do Sul, Austrália
Regas: Periódicas
Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
Solo: Fértil e rico em matéria orgânica
Porte: acima de 12 mts
Luminosidade: Sol Pleno
Fertilização: Constantes para estimular florada e frutificação
Multiplicação: Estacas e sementes
Curiosidades: É interessante ressaltar que embora seja conhecido como calmante natural, não é o fruto do Maracujá que carrega as substâncias que agem efetivamente no sistema nervoso central. A flor do Maracujá é a parte da planta responsável pela diminuição do estresse e pelo tratamento da insônia.
Em outros idiomas o Maracujá também é conhecido como o “fruto da paixão”: passion fruit (em Inglês), fruit de la passion (em Francês), fruta de la pasión (em Espanhol), já em tupi-guarani, o termo “maracujá” significa “alimento dentro da cuia”.




Propriedades Medicinais do Maracujá: Sedativo e tranquilizante
Indicações: Ansiedade, Estresse, Insônia, Dores de cabeça
Partes Utilizadas: frutos, folhas, raízes
Contraindicação: Os compostos a base de passiflora podem ser ministrados sob orientação médica a gestantes, crianças e idosos. Porém, indivíduos que tenham a pressão arterial baixa ou que façam uso de medicamentos calmantes e sedativos devem evitar o uso da flor de maracujá já que ela pode diminuir os ritmos cardíacos e intensificar os efeitos dos remédios.
Efeitos colaterais: Pode causar distúrbios visuais e sonolência.




Porque o Maracujá é chamada de Flor da Paixão ou Coração Ferido?

Quando os missionários europeus chegaram à América, se encantaram com a exuberância da flor e associaram de imediato alguns dos seus elementos ao calvário de Cristo.
Na flor as três estigmas correspondiam aos três cravos que prenderam Cristo na cruz; as cinco anteras representavam as cinco chagas; as gavinhas eram os açoites usados para o martirizar e o formato da flor visualiza a imagem da coroa de espinhos levada por Cristo para o ato de crucificação.
Os tons de roxo simbolizam o sangue derramado por Jesus Cristo. A cor roxa até hoje é utilizada nos rituais cristãos durante a Semana Santa.
Relata-se que no século XVII o Papa Paulo V ficou maravilhado quando recebeu flores de maracujá de presente e que ordenou que fossem cultivadas em Roma. As flores que tinham vindo da América do Sul, foram um sinal para o Papa que o Evangelho era também para ser espalhado no "Novo Mundo".
No simbolismo religioso, o formato redondo do fruto maracujá corresponde ao mundo de pecado que Cristo deu a sua vida para o salvar.







Tecnologia do Blogger.